Livros

What I Read: January

fevereiro 03, 2014,16 Comments

I started 2014 with the right foot when it comes to reading as I was able to read, nothing more, nothing less than six books. Unfortunately, I also know I could have read much more, if I didn't get lazy at the middle of the month (indeed, I read all these books at the first two weeks of January) and if I hadn't started four books that I didn't finish, a complete waste of time... Yet, I still think six is a great number to start off the year and I hope to continue this way in the next months!
Without further ado, here's what I have read in January...
Em 2014 comecei com o pé direito no que respeita a leituras e consegui ler, nada mais nada menos, que seis livros. Infelizmente, também sei que poderia ter lido muitos mais, se não tivesse ficado preguiçosa lá para o meio do mês (de facto, li todos estes livros nas primeiras duas semanas de Janeiro) e se não tivesse começado quatro livros que não acabei, uma completa perda de tempo... Ainda assim, considero que seis é um óptimo número para começar o ano e espero continuar assim nos próximos meses!
Sem mais demoras, aqui fica o que li em Janeiro...

Júlio Magalhães

Joaquim não queria acreditar: tinha saído a salto de Portugal, quase tinha perdido a vida e agora estava ali. Na capital portuguesa em França. O sítio onde, todos lhe garantiam, podia enriquecer e concretizar os seus sonhos. Mas o que via era um bairro de lata. Mas Joaquim não estava disposto a baixar os braços. Era ali, em França, a terra que lhe dava de comer, que queria vingar, que prometia, à força do seu trabalho, derrubar fronteiras e preconceitos. Mas, cedo Joaquim vai descobrir que há barrerias difíceis de ultrapassar.

Júlio Magalhães


Carlos e Nicole conheceram-se nas ruas de Paris. As tropas alemãs avançavam em passo forte e determinado, mas todos acreditavam que a capital francesa estava a salvo. Enganavam-se. Em poucas semanas, milhares de refugiados procuravam salvação. Nicole encontrou-a em Bordéus pelas mãos do embaixador Aristides de Sousa Mendes que lhe entregou um visto para chegar até Portugal, onde finalmente cairia nos braços do seu amando. Longe da guerra, seria finalmente feliz. Mas há preconceitos que são difíceis de quebrar e os dois amantes são obrigados a seguir caminhos diferentes. Carlos fica em Lisboa, entre os negócios do pai, influente na sociedade salazarista, e a doença da mãe, e Nicole parte para Londres, participando como enfermeira no esforço de guerra. Será o amor capaz de resistir a tudo?
 

I started the year by reading two books from the portuguese author Júlio Magalhães. My mom has already read all the books from this author and like them quite a lot, so I ended up deciding to pick up the ones she had at home. They're quite small and quick to read, with simple stories, and yet they're worth reading!
Comecei o ano a ler dois livros do português Júlio Magalhães. A minha mãe já leu todos os livros deste autor e gosta bastante, por isso lá acabei por me decidir a começar por aqueles que ela tinha em casa. São livros pequenos, bem rápidos de ler e com histórias bem simples, mas, ainda assim, que valem bem a pena ler. Tanto o Longe do meu coração como o Por ti, resistirei retratam um romance histórico, procurando inserir a história de dois apaixonados num contexto de época. Ambos romances à primeira vista impossíveis, que procurando quebrar as barreiras do preconceito. Confesso que ambos os livros me deixaram com vontade de ler algo mais do autor, mas, de entre os dois, tenho mesmo que escolher o Longe do meu coração como o meu predilecto. Talvez por a minha família (tanto do lado materno como paterno) ter cedo emigrado, inclusivamente para França, acabei por me interessar mais por este livro... é impressionante como, mesmo sabendo que antigamente existiam imensos obstáculos à emigração em Portugal, não fazia ideia da dura realidade que era realmente saltar a fronteira. Uma verdadeira aventura, a que muitos estavam dispostos para conseguir sobreviver, para terem melhores condições de vida, uma jornada em que muitos acabam por falecer e nunca viam o seu destino... recomendo vivamente que leiam este livro se quiserem saber mais sobre este passado do nosso país!

Marc Levy


On the morning of July 9th 2012, New York Times reporter Andrew Stilman is jogging along the Hudson River when he feels a sudden, sharp pain in his lower back. He collapses in a pool of blood. When he regain consciousness, two months earlier, Andrew has sixty days to uncover his murderer. Sixty days to find out who wants him dead and why. From New York to Buenos Aires, Andrew embarks on a race against time. Na manhã do dia 9 de Julho de 2012, o repórter do New York Times Andrew Stilman está a fazer jogging ao longo do Rio Hudson quando sente uma dor repentina e forte nas suas costas. Andrew cai numa poça de sangue. Quando recupera a consciência, dois meses antes, Andrew tem sessenta dias para descobrir o seu assassino. Sessenta dias para descobrir quem o quer morto e porquê. De Nova Iorque a Buenos Aires, Andrew embarca numa corrida contra o tempo.
Last year I read The strange journey of Mr Daldry and I started becoming a bigger fan of Marc Levy. In this book, the main character is Andrew, a journalist that goes from the obituary section of the newspaper to start writing polemical articles. After one polemical article and on the way to another, Andrew is murdered. With its interesting twists, Marc Levy gives us the opportunity in this book to revive the last two months of Andrew's life, as he tries to find out who murdered him, leading us in his investigation, related with the atrocities committed by the argentinian dictatorship... With two parallel investigations (the one for the article and the murder one), we end up questioning everything, searching for clues and I can guarantee you the final is truly surprising! I truly recommend you to read this book!
No ano passado li A estranha viagem do senhor Daldry e comecei a ficar cada vez mais fã de Marc Levy. Neste livro, o protagonista é Andrew, um jornalista que passa da parte dos obituários do jornal para escrever artigos polémicos. Após uma reportagem polémica e outra a caminho, Andrew é assassinado. Com as suas reviravoltas interessantes, Marc Levy dá-nos neste livro a oportunidade de revivermos os últimos dois meses da vida de Andrew, à medida que ele procura descobrir quem o assassinou, levando-nos a entrar cada vez mais na investigação de Andrew, relacionada com as atrocidades cometidas pela ditadura argentina... Com duas investigações paralelas (a da reportagem e a do crime), acabamos por questionar tudo na procura de pistas e, garanto-vos, o final é verdadeiramente surpreendente! Recomendo vivamente que leiam este livro!

Rosso corallo A cor da paixão
Sveva Casati Modignani

In the postwar Milan, Liliana Corti and her three siblings grow in a united family. From their parents they learn how to maintain their dignity and claim their rights in a society that despises the weak. Liliana, with commitment and sacrifice, builds a brilliant career as a lawyer, conciliating it with her family life thanks to the help of her loving and understand husband. At one time, Liliana will experience at first hand the madness of those who use the force of arms and watch the end of her long career, though getting out vitorious in another battle. A life lived with courage, through relationships of love and hate, courage and moments of fragility, of recents events in Italy's past history... Na Milão do pós-guerra, Liliana Corti e os seus três irmãos crescem o seio de uma família unida. Dos pais aprendem a manter a dignidade e a reinvidicar os seus direitos numa sociedade que menospreza os mais fracos. Liliana, com empenho e sacrífico, constrói uma carreira profissional brilhante como advogada, conciliando-a com a vida familiar graças à ajuda do marido, um homem carinhoso e compreensivo. A uma dada altura, Liliana irá sentir na própria pele a loucura dos que usam a força das armas e assiste ao fim da sua longa carreira, conseguindo mais uma vez sair vencedora dessa batalha. Uma vida vivida com coragem, através de relações de amor e ódio, de momentos de fragilidade e coragem, de acontecimentos passados na história recente da Itália...
Sveva Casati Modignani
At eighty-five, Gregorio Caccialupi lived a life marked by severe setbacks and victories. Gone are the memories of an impoverished childhood in Italy in the 30s and the decision that forever changed his life: emigrating to America in search of a better future. Ambitious and detrmined, he becomes Mister Gregory, ownder of a major hotel chain, a rich and influential man. But a miscalculated investment leads him to ruin. Conformed to his quiet life in a nursing home, he is far to know that an unexpected encounter will bring him a surprising revelation. Aos oitenta e cinco anos, Gregorio Caccialupi viveu uma vida intensa marcada por contrariedades e vitórias. Para trás ficam as recordações de uma infância pobre na Itália dos anos 30 e da decisão que mudou para sempre a sua vida: emigrar para a América em busca de um futuro melhor. Ambicioso e determinado, torna-se Mister Gregory, dono de uma importante cadeia de hotéis, um homem rico e influente. Porém, um investimento mal calculado leva-o à ruina. Conformado com a sua vida discreta num lar de idosos, está longe de saber que um encontro inesperado lhe trará uma revelação surpreendente.
Another author who has occupied part of my time in January was Sveva Casati Modignani. It comes from far my "relationship" with this author, who I rediscover from time to time. I confess I haven't read one of her books in a long time, but this time I decided to pick up two. After having read them, I must confess I can't prefer one over another. These are different stories, yet both very interesting. Both have Italy as background (which has become usual with this author), and both depict, curiously, a past era.
Rosso corallo bets on a strong female character, Liliana Corti, following this author's cliché. She is a woman who wants to be successful, who want to fight for everything she has the right for, a family and a job, at a time when it was not easy or traditional. On the other hand, Mister Gregory revolves around a man (there has to be a first time for everything!), even though the story approaches the important women in his life at different times, from his mother to his lovers. While Rosso Corallo focuses on a more recent past of Italy and addresses the issue of the Red Brigades, Mister Gregory backs up to the 30s and onwards to tell the story of a poor Italy, with people who want to improve their quality of live and are willing to do anythign to get it. Different books, but both deal with powerful characters that teach us that it is possible to dream and fight for what we want!
Outro autor que ocupou parte do meu tempo em Janeiro foi Sveva Casati Modignani. Já vem de longe a minha "relação" com esta autora, que vou redescobrindo de vez em quando. Confesso que já não lia um livro dela há muito tempo, mas desta vez decidi logo pegar em dois. Após os ter lido, confesso que não consigo preferir um ao outro. São histórias diferentes e, ainda assim, ambas muito interessantes. Ambas têm como pano de fundo Itália (como já é hábito desta autora), e ambas retratam, curiosamente, uma época passada.
A cor da paixão aposta numa personagem feminina forte, Liliana Corti, seguindo um pouco o cliché desta autora. É uma mulher que quer ser bem sucedida, que pretende lutar a tudo o a que tem direito, uma família e um emprego, numa altura em que isso não era fácil e tradicional. Por outro lado, Mister Gregory gira à volta de um homem (tem que haver uma primeira vez para tudo!), ainda que a história aborde as mulheres importantes da sua vida em diferentes alturas, desde a mãe às várias paixões. Enquanto que A cor da paixão foca o passado mais recente da Itália e aborda muito a questão das Brigadas Vermelhas, Mister Gregory recua até aos anos 30 e daí em diante para contar a história de uma Itália pobre, com pessoas que querem melhorar a sua qualidade de vida e estão dispostas a tudo para o conseguir. Livros diferentes, mas ambos tratam de personagens poderosos, que nos ensinam que é possível sonhar e lutar por aquilo que queremos!

The night shift O turno da noite
Stephen King

I have previously confessed to be a fan of Stephen King. After reading the classic The shining and falling in love for Under the Dome, I couldn't predict anything but to love the very next book I would pick up from this author. That didn't happen.
Before I give my opinion about this book and you give up already to pick it up as well, please notice the opinions are not consensual. Some people love this book, some people hate it, I'm rather in the middle. This is a book of short stories and I must confess there were some tales I was willing to read a few more pages and others that I was dying to stop and move to the next. Perhaps because this is one of the oldest books by Stephen King, I found the writing a bit "primitive" and not as fluid. Personally, I'd rather stick with one single story from this author during four or five hundred pages than reading tales ranging from ten to twenty pages. Still, I should highlight my favourites: Jerusalem's Lot, which talks about a man who moves into the home of his ancestor and gradually discovers the relationship between his family and a ghost town called Jerusalem's Lot; The mangler, a tale about a laundry machine which is possessed by a demon and comes alive, mutilating people; Trucks, which focuses on a group of people who are trapped at a gas station, surrounded by trucks that gained life; Quitters, Inc., a company that promises to make anyone stop smoking, using unorthodox methods; Children of the Corn, one of the longest stories in this books, which tells the story of a couple taking a road trip that has an accident, seeking for the nearest town, where they will find a bunch of psychotic children.
Já antes confessei ser fã de Stephen King. Depois de ter lido o clássico A luz e de ter ficado apaixonadíssima por A cúpula, confesso que não previa outra coisa se não adorar o próximo livro dele em que pegasse. Isso não aconteceu.
Antes de dar a minha opinião sobre este livro e desistirem já de pegar nele também, aviso já que as opiniões não são consensuais. Há quem ame, há quem odeie, eu pessoalmente fiquei-me no meio. Este é um livro de contos e, como tal, confesso que houve contos em que de boa vontade lia mais umas páginas e outros em que estava mortinha por acabar e passar ao próximo. Talvez por ser dos livros mais antigos de Stephen King, achei a escrita um pouco mais "primitiva" e não tão fluída. Pessoalmente, prefiro ficar agarrada a uma só história deste autor durante quatrocentas ou quinhentas páginas a ler contos que vão de dez a vinte páginas. Ainda assim, destaco os meus preferidos: Jerusalem's Lot, que fala de um homem que se muda para a casa dos seus antepassados e progressivamente vai descobrindo a relação entre a sua família e uma cidade fantasma chamada Jerusalem's Lot; A mutiladora, um conto que fala de uma máquina de lavandaria que é possuída por um demónio e ganha vida, mutilando pessoas; Camiões, que se foca num grupo de pessoas que está encurralada numa estação de serviço, rodeada de camiões que ganharam vida Quitters, Inc., que aborda uma empresa que promete fazer com que qualquer pessoa deixe de fumar, recorrendo a métodos pouco ortodoxos; Filhos do milho, um dos contos mais longos deste livro, que conta a história de um casal a fazer uma viagem de carro e que tem um acidente, procurando a cidade mais próxima, onde vão encontrar um bando de crianças psicóticas.

A ler também...

16 comentários:

  1. Felizmente também me tenho dedicado mais à leitura,:)

    http://letrad.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. I love Stephen King books, I really want to read the new one which is a follow on from The Shinning - I think it's called Dr Sleep or something?


    I wish I read more, I just feel like I don't have time!


    Corinne x
    www.skinnedcartree.com

    ResponderEliminar
  3. As vezes gostava de ler, mas não consigo, distraio-me sempre!
    Oasap giveaway on the blog
    http://annluckindarkdays.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  4. Way to go girl! Beautiful books, thanks so much for sharing :D


    Hugs,
    The Hearabouts

    ResponderEliminar
  5. Quero tanto ler esse do Stephen King! É uma vergonha nunca ter lido nada dele.
    Também ando preguiçosa estes meses com os livros... Ainda estou a tentar acabar de ler "Justine" do Marquês de Sade, após terminar "Angústia para o jantar" do Luís de Sttau Monteiro. Ambos muito bons^^

    nancywilde.blogspot.com

    ResponderEliminar
  6. Gostaria imenso de ler esse livro de contos do Stephen King. Já ouvi imensas opiniões diferentes sobre ele e acho que só o lendo posso chegar a uma conclusão!

    ResponderEliminar
  7. I am also looking forward to read Dr Sleep! I have read The Shinning and I loved it so, even though I've read some reviews saying Stephen King sort of started a different story with Danny, I definitely wanna read it!

    ResponderEliminar
  8. tens mesmo que ler Stephen King, é um dos meus autores preferidos! ;)
    tenho que pesquisar esses!

    ResponderEliminar
  9. também acho que só mesmo lendo! eu fiquei-me pelo nem gostei nem desgostei, simplesmente porque achei que alguns contos eram bons e outros nem por isso... pessoalmente prefiro ler um livro de Stephen King com uma só história ;)

    ResponderEliminar
  10. também me tenho dedicado às leituras infelizmente não consigo ler tanto como queria devido ao tempo escasso.

    ResponderEliminar
  11. infelizmente, encontrar tempo para ler nem sempre é fácil! boa sorte ;)

    ResponderEliminar