O mercado provençal de Gordes e a aldeia medieval de Baux-de-Provence

Visitar Gordes e Baux-de-Provence - Drawing Dreaming

Depois de termos passado a manhã em Roussillon, a mais colorida aldeia provençal, seguimos até Gordes!
Esta aldeia localizada a oeste de Roussillon foi também ela construída no topo de uma colina, característica que remonta aos tempos romanos, quando as aldeias eram construídas no alto das montanhas com o objectivo de se proteger de possíveis invasões. Inspiração para artistas como Marc Chagall, as vistas panorâmicas sobre o vale do Luberon a partir do topo desta vila são deslumbrantes!

Por que é imperativo visitar o Memorial de Caen, um museu que recorda a II Guerra Mundial

Visita ao Memorial de Caen - Drawing Dreaming

Apenas estive um dia em Caen, mas cheguei preparada com a pesquisa já feita e na mão uma lista de tudo o que queria visitar.
Como já é hábito meu, a minha primeira paragem foi mesmo no Posto de Turismo da cidade para recolher mapas, brochuras e informações de que necessitava. Aproveitei para fazer perguntas e, para meu espanto, foi me dito que um dos museus que queria visitar - o Memorial de Caen - me exigiria um dia inteiro do meu tempo. Confesso que a este ponto fiquei desanimada perante a perspectiva de ter que optar por visitar o Memorial ou os demais pontos turísticos da cidade, mas como não queria eliminar algo da minha lista, decidi que iria lançar a mim mesma o desafio de fazer tudo num dia. E sim, é possível.

Visita ao Château de Fontainebleau, a residência real mais bem preservada de França

Visita ao Château de Fontainebleau - Drawing Dreaming

Eu, Ester, me confesso. Tenho uma obsessão com châteaux. Venham de lá castelos medievais ou palácios da realeza, eu não discrimino, pois basta-me entrar num qualquer château na França para imediatamente me sentir transportada para outra era... isto, claro, quando não estou rodeada de multidões!
Por muito deslumbrante que um determinado monumento possa ser, há que admitir que é um pouco difícil fechar os olhos e imaginar como este seria há séculos atrás quando temos em nosso redor um grupo de chineses ou russos que se acotovelam para tirar a melhor selfie ou ouvir a explicação do guia que os acompanha... E quando já visitámos Versailles, Vaux-le-Vicomte e até já rumámos aos Castelos do Loire, começamos a questionar-nos se existirá algo do mesmo calibre que satisfaça a nossa paixão pelos ideais clássicos da arquitectura francesa e a lúxuria das suas artes decorativas. A resposta é um grande e ensurdecedor sim!
A apenas cerca de 50 quilómetros de Paris encontra-se aquele que é uma visita obrigatória para quem visita a capital francesa ou não estivesse este classificado como Património Mundial da UNESCO (toma lá, Versailles!): o Château de Fontainebleau!

Flower and Garden Festival: o festival de jardinagem da Disney

Flower and Garden Festival Epcot

O Walt Disney World é conhecido por todos os anos acolher vários eventos e um dos mais aclamados dos parques coincidiu mesmo com a minha chegada aqui na Flórida: o Epcot International Flower and Garden Festival! Este festival de jardinagem e horticultura tem lugar em datas variáveis na Primavera e este ano a 24ª edição foi a mais longa de sempre, com um total de 90 dias entre início de Março e final de Maio em que foi possível desfrutar deste evento! 
Como ainda não foram divulgadas as datas do próximo ano e existe a possibilidade de eu já não estar por Orlando para o próximo Flower & Garden, soube que tinha que aproveitar ao máximo este festival, pelo que acabei por o visitar várias vezes...

Perdida entre ossos no maior cemitério subterrâneo de Paris: a visita às Catacumbas

Visita às Catacumbas de Paris - Drawing Dreaming

Eu até que gostava de começar este texto sobre as Catacumbas de Paris a escrever sobre o quanto me perdi de amores por este local histórico mas, perdoem-me todos aqueles que o consideram como um dos locais obrigatórios a visitar na capital francesa, tal não aconteceu.
Não foi por falta de boa vontade, juro. Apesar de a descrição deste monumento não me deixar particularmente entusiasmada, fui visitá-lo de espírito aberto, pronta a contemplar ossos como quem vai admirar uma obra de arte ali ao Louvre ou fica horas a observar os luxuosos detalhes de uma qualquer divisão em Versailles. Para ser pura e completamente honesta, dêem-me qualquer museu ou palácio em França, antes de me obrigarem a voltar a percorrer quilómetros de subterrâneos para dar por mim 65 metros abaixo de terra a contar exemplares de crânios, fémures, tíbias, costelas ou clavículas.