Barcelona

Barcelona: um dia a explorar Gaudí e o Modernismo Catalão

dezembro 15, 2016,1 Comments

Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Sagrada Família
O segundo dia em Barcelona foi, de forma acidental, dedicado ao modernismo catalão. Quando planeei este dia apenas organizei um roteiro de locais que estavam geograficamente próximos, mas acidentalmente acabei por escolher visitar alguns dos mais famosos ex-libris arquitectónicos de Barcelona!




sagrada família


carrer de mallorca, 401ADULTOS: a partir de 15€

A manhã começou pela visita àquele que é o monumento mais visitado de Barcelona e que dispensa apresentações: a Sagrada Família (ou, de uma forma mais completa, Temple Expiatori de la Sagrada Família). 
Obra emblemática do génio modernista Antoni Gaudí, este assumiu a obra em 1883 e esteve à frente da mesma até à sua morte, em 1926. Durante este tempo, Gaudí pensou e repensou o projecto do templo, o qual pretendia que fosse não só um monumento a Deus, mas também um ponto de referência em Barcelona (pessoalmente, acredito que conseguiu alcançar ambos os objectivos!). Gaudí não viu a conclusão do templo, mas as partes que construiu - a fachada do Naixement e a cripta - foram declaradas Património da Humanidade pela UNESCO em 2005
O templo é uma obra viva que ainda se encontra em construção (graças aos donativos de fiéis, bem como ao dinheiro angariado através da venda de bilhetes), estimando-se que a conclusão das obras aconteça por volta de 2030.

Dado o facto de a Sagrada Família ser tão popular e ter sempre filas enormes (que dão voltas ao templo), optámos por comprar os bilhetes online com antecedência. É verdade que adquirir bilhetes antes da visita implica um certo grau de compromisso visto ser necessário marcar a data e hora da visita, mas acreditem que é super prático! Nós decidimos comprar o bilhete com visita às torres e audio-guia. Pessoalmente decidi que a Sagrada Família era um dos locais que queria mesmo visitar e tendo descoberto que não há muita informação no local sobre o templo em si, decidi que um audio-guia era a melhor opção! O veredicto? Acabámos por não esperar de todo e os comentários permitiram-nos saber um pouco mais sobre esta magnífica obra!

Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Sagrada Família
Ainda antes de visitarmos o Templo em si, explorámos a Cripta. O acesso é gratuito e faz-se por um portão metálico logo à esquerda da bilheteira. Apesar de a cripta já estar construída quando Gaudí ficou encarregue da Sagrada Família, a primeira também faz parte da sua obra já que este transformou os pilares e elevou a abóboda. A cripta está dividida em sete capelas dedicadas à Sagrada Família.

atenção, o acesso à cripta é independente do acesso ao templo, logo aconselho que a visitem antes ou depois da sagrada família, visto que uma vez fora do templo, não é possível entrar novamente.

Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Sagrada Família
De seguida, visitámos o templo, o qual está dividido em três fachadas:

naixement, a única fachada completada por Gaudí, com formas pouco comuns para um templo e elementos inesperados como folhas, animais e frutas;

Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Sagrada Família
Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Sagrada Família
passió, inteiramente realizada depois da morte de Gaudí sob a responsabilidade do arquitecto Josep Maria Subirachs, representando os últimos dias da vida de Jesus, com cenas de sofrimento representadas nos três níveis da fachada;

Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Sagrada Família
Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Sagrada Família
glòria, a qual ainda está a ser construída.

Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Sagrada Família
Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Sagrada Família
Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Sagrada Família
Quando finalizado, o templo terá 18 torres: uma para cada apóstolo, quatro para cada evangelista e os zimbórios de Jesus e da Virgem Maria.
A experiência de visitar as torres é bastante semelhante, a diferença estás na vista. Nós optámos pela subida da torre da Fachada da Natividade, já que se pode contemplar de perto a única fachada desenhada inteiramente por Gaudí.

Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Sagrada Família
Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Sagrada Família
Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Sagrada Família
Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Sagrada Família
Depois de observar com atenção os inúmeros detalhes das fachadas, é tempo de passar ao interior do Templo. Pessoalmente, achei o exterior da Sagrada Família impressionante, mas aquilo que me maravilhou mesmo foi poder entrar no Templo e absorver a grandiosidade e beleza do mesmo!
Gaudí inspirou-se na natureza para a sua construção e isso vê-se desde logo nas colunas sobre as quais o templo está apoiado, que se parecem com troncos de árvores, por entre as quais os raios de sol se filtram como numa floresta. Além disso, os maravilhosos e coloridos vitrais (que representam santos e santuários, bem como a ressurreição) deixam a luz entrar de uma forma espectacular. Não há como descrever!

hospital de la santa creu i sant pau

carrer sant antoni maria claret, 167ADULTOS: 10€
Saindo da Sagrada Família, subimos a Avinguda Gaudí até ao próximo ponto do nosso roteiro, o Hospital de la Santa Creu i Sant Pau, o qual é considerado um dos maiores tesouros do modernismo catalão, tendo sido declarado Património da Humanidade em 1997.

Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Hospital de la Santa Creu i Sant Pau
Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Hospital de la Santa Creu i Sant Pau
Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Hospital de la Santa Creu i Sant Pau
As obras de construção do Hospital tiveram início em 1902 e este foi oficialmente inaugurado em 1930. A obra esteve sob a responsabilidade de Domènech i Montaner (na qual também trabalhou o seu filho), o qual teve uma visão muito moderna ao projectar o Hospital, separando as diferentes áreas do mesmo e garantindo muitos espaços verdes, luz e tranquilidade para médicos e pacientes.
Este é, na realidade, uma autêntica cidade modernista, com ruas, prédios e jardins, sendo formado por um conjunto de 12 pavilhões, interligados por uma rede de corredores subterrâneos.

Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Hospital de la Santa Creu i Sant Pau
Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Hospital de la Santa Creu i Sant Pau
Penso que raras são as pessoas que gostam de hospitais por os associarmos com doença e dor, mas garanto-vos que a visita a este hospital é algo que vos ficará na memória pelas suas cores, beleza e genialidade! Pessoalmente adorei vaguear pelas ruas, entrar nos edifícios que estavam abertos ao público e mesmo sentar-me por alguns momentos à sombra das belíssimas laranjeiras que se encontram espalhadas um pouco por todo o lado neste complexo! Serei a única a imaginar como será ter este hospital como local de recobro?

O Hospital passou recentemente por obras de reforma durante cinco anos e reabriu as portas em Fevereiro de 2014, portanto não podem perder a oportunidade de visitar este enorme complexo! A boa notícia? Se tal como eu têm até 30 anos, saibam que têm desconto na compra do vosso bilhete!

Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Hospital de la Santa Creu i Sant Pau
Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Hospital de la Santa Creu i Sant Pau
Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Hospital de la Santa Creu i Sant Pau

park guell

carrer de larrardADULTOS: 7€
Sabiam que o Park Güell, obra do arquitecto Antoni Gaudí é resultado de um fracasso urbanístico? Eusebi Güell, mecenas para quem Gaudí já havia construído o Palau Güell, encomendou ao artista um projecto que previa a construção de uma espécie de cidade-jardim de estilo inglês (facto que justifica a grafia de "Park").
Contudo, o interesse no projecto foi muito pouco e apenas duas casas foram construídas, uma das quais foi ocupada por Gaudí (actual Casa Museu Gaudí). Em 1918, os herdeiros de Güell venderam o terreno para o Munícipio de Barcelona, que decidiu convertê-lo num novo parque para a cidade e em 1984 este foi declarado Património da Humanidade pela UNESCO.

Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Park Guell
Alguns dos pontos de interesse deste parque são:

 as duas portarias - pavilhões inspirados no conto de “Hansel e Gretel”, os quais ladeiam a entrada do parque e que são famosos pelos seus telhados fantásticos e cúpulas em forma de cogumelo com trabalho de azulejos coloridos.
Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Park Guell
Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Park Guell
 a escadaria – para alguns as escadas poderão não ser uma atracção, mas é para cima que se deve olhar: as belas fontes, entre as quais a famosa salamandra, construída com peças de cerâmica partidas num estilo de mosaico chamado trencadís.

Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Park Guell
Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Park Guell
 a sala das cem colunas – cem colunas dóricas constroem um pavilhão que proporciona sombra no Verão. Ao olhar para o tecto é possível ver enseadas elaboradas com símbolos religiosos, mitológicos e astrológicos.

Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Park Guell
 o banco em serpentina – uma bancada de azulejos que rodeia o terraço panorâmico ou praça principal e que é supostamente o maior banco do mundo.

Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Park Guell
 o museu gaudí– esta foi a casa de Gaudí entre 1906 e 1926 e está hoje aberta ao público.

Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Park Guell
 o pico ou "calvario" – a cruz de pedra no topo do Parque marca o seu ponto mais alto e é aqui que se pode encontrar vistas panorâmicas extraordinárias da cidade, podendo se avistar a Sagrada Família, a Torre Agbar, Camp Nou e o Mar Mediterrâneo.

Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Park Guell
Apesar de certas zonas do parque serem de acesso gratuito, a zona monumental (que inclui basicamente todos os pontos de interesse de que vos falei) é paga. Aconselho a que comprem o bilhete online. Eu não o fiz porque não sabia exactamente o horário que pretendia e como tal acabei por ter que o comprar nas máquinas automáticas do parque para voltar dali a 1 hora, já que o número simultâneo de turistas no parque é limitado!
Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Cases Ramos
Do Parc Güell seguimos até ao bairro de Gràcia, onde aproveitámos para observar a CASES RAMOS, uma construção modernista.

Daqui seguimos até à Carrer de les Carolines, onde se encontra uma das primeiras obras de Antoni Gaudí, a CAsa vicens, a qual é Património Mundial da Humanidade, mas que infelizmente não está aberta ao público.

Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Casa Vicens
Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Casa Vicens
Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Casa Vicens
Daqui decidimos seguir na direcção do Passeig de Gràcia, o qual já tinhamos explorado um pouco por ficar perto do nosso hotel.
No número 132 é possível observar a CAsa fuster, obra de Montaner com um estilo neogótico e traços de um modernismo bastante contido.

Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Casa Fuster
Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Casa Vicens
De seguida, nos número 261-265 é possível ver a famosa la pedrera / casa milà, a qual tem três fachadas: uma delas situada no Passeig de Gràcia, outra voltada para a rua Provença e a última, em forma de chaflàn ou xamfrà (desenho em forma recta das esquinas dos quarteirões), na esquina entre as outras duas fachadas. O projecto de Gaudì unificou as fachadas como uma só, com as suas formas onduladas.

Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Casa Milà La Pedrera
Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Casa Milà La Pedrera
É igualmente no Passeig de Gràcia que podemos observar as três casas que compõem a "manzana de la discordia" (quarteirão da discórdia), à época consideradas como excessos da arquitectura modernista.

No número 43 fica a CAsa batló, obra de Antoni Gaudí, a qual é igualmente chamada de “casa de las máscaras” ou “casa de los huesos” pela semelhança dos elementos decorativos da fachada com máscaras e ossos, tendo sido nomeada Património Mundial da Humanidade.

No número 41 fica a CAsa amatler, de 1898. Antoni Amatller, industrial do chocolate, comprou o imóvel e solicitou ao arquitecto modernista Puig i Cadafalch a reforma integral do edifício.

No número 35 é possível ver a casa lleo morera, de 1902, da autoria do arquitecto Domènech i Montaner.

Pessoalmente, optámos por não visitar o interior de nenhuma das casas por ser algo que não estava no topo das nossas prioridades.

Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Casa Batlò
Drawing Dreaming - visitar Barcelona - Casa Lleo Morera
qual o edifício modernista em barcelona que mais gostavam de visitar?

A ler também...

1 comentário:

  1. veio na altura certa o post, vou a Barcelona este fds (:
    http://arrblogs.blogspot.pt/

    ResponderEliminar