Centre-Val de Loire

À descoberta do Vale do Loire: o Château de Cheverny

outubro 25, 2017,0 Comments

Visita ao Château de Cheverny, Vale do Loire

De passagem pelo Vale do Loire, visitei os castelos de Amboise e de Chenonceau, seguindo depois para o Château de Cheverny. Este surpreendeu-me por ser uma verdadeira jóia rara na região: ao contrário dos demais castelos do Loire que seguem o estilo renascentista, Cheverny é um exemplo único da arquitectura do estilo clássico Louis XIII, o qual se distingue por linhas muito simétricas.

Uma das características mais notáveis de Cheverny é o facto de ter sido construído com pedras brancas provenienentes das pedreiras do vizinho Vale do rio Cher. Esta pedra em particular não só preserva a sua cor branca, como é conhecida por endurecer com o tempo. Apesar da sua arquitectura rígida, o castelo também apresenta os seus contrastes, como a variedade de estilos utilizados no telhado, incluindo cúpulas, campanários e outros elementos de estilo francês, os quais acrescentam profundidade e singularidade ao edifício.

Visita ao Château de Cheverny, Vale do Loire

Construído e decorado nuns relativamente curtos 30 anos de 1604 a 1634, o Château de Cheverny destaca-se ainda dos demais castelos do Loire por se encontrar incrivelmente preservado, mantendo o mesmo aspecto exterior nos últimos 350 anos.
Tal conservação deve-se ao facto de Cheverny ser um castelo exclusivamente privado e pertencer à família Hurault há mais de seis séculos (salvo raras excepções, como por exemplo quando Diane de Poitiers - antiga amante de Henri II - foi expulsa de Chenonceau pela rainha Catherine de Médicis e decidiu requisitar o Château de Cheverny para si durante dez anos). Aliás, Cheverny foi o primeiro castelo particular a abrir ao público em 1922, quando Philippe de Vibraye (tio-avô do actual dono), um proprietário bastante progressista, teve a ideia de abrir a sua propriedade ao público para ajudar a custear as despesas da mesma. 
Cheverny viveu ainda um período difícil durante a Segunda Guerra Mundial, quando foi requisitado pelo Estado para funcionar como armazém para objectos de arte, incluindo parte das obras do Museu de Cluny de 1940 a 1944.
Ainda habitado pela família (a qual vive no terceiro andar do castelo, não aberto ao público), Cheverny tem estado desde então aberto 365 dias por ano, podendo os visitantes admirar os seus quartos esplendidamente decorados. 

Visita ao Château de Cheverny, Vale do Loire

O interior do castelo é absolutamente deslumbrante! Pessoalmente, considero que é um dos castelos mais finamente decorados que visitei no Vale do Loire, com uma belíssima exibição de obras de arte.
A primeira divisão por onde passamos é a sala de jantar, a qual apresenta trinta e quatro painéis de madeira pintados para ilustrar Dom Quixote, livro do espanhol Cervantes, muito em voga no século XVII.

Visita ao Château de Cheverny, Vale do Loire
Visita ao Château de Cheverny, Vale do Loire

Subindo a magnífica escada de pedra, encontramo-nos nos apartamentos privados, conjunto de divisões entre as quais se contam os quartos das crianças e dos seus nascimentos ou mesmo os aposentos das noivas, na qual encontramos o vestido de noiva da actual Marquesa de Vibraye, cujo casamento aqui teve lugar em 1994. 

Visita ao Château de Cheverny, Vale do Loire
A sala de armas

Visita ao Château de Cheverny, Vale do Loire
pormenor da lareira do quarto do rei

A próxima divisão da visita é, igualmente, a maior do castelo: a sala de armas. Esta sala recebeu este objectivo já no século XIX, quando predominava o gosto pronunciado pelo romantismo e a cavalaria. Além de vários exemplares de armas e armaduras dos séculos XV a XVII, esta sala tem uma belíssima lareira e uma fabulosa tapeçaria da Manufactura dos Gaubelins com cenas da mitologia grega, a qual nunca foi restaurada.
Logo à frente, encontra-se o quarto do rei, aposento que se encontrava reservado ao rei e aos hóspedes de elevado nascimento (aqui pernoitou por várias vezes Henri IV). Esta divisão deixa-nos facilmente de queixo caído por ostentar obras de arte que cobrem as paredes e o tecto e que representam cenas do mito de Perseu e Andrómeda.
A cama de dossel com bordados persas desta divisão parece à primeira vista algo pequena, mas na realidade mede 2x1,60m, além de que foi aqui que aprendi que, à época, se dormia sentado pois acreditava-se que a posição deitada estava reservada aos mortos e, além disso, existia igualmente o receio de se engolir a própria língua!

Visita ao Château de Cheverny, Vale do Loire
Visita ao Château de Cheverny, Vale do Loire
Pormenores do vestíbulo do castelo

O belo design de interiores do castelo é fruto do trabalho de Jean Monier, um artista que Marie de Médicis enviou para Itália para aperfeiçoar o seu talento, regressando a França para trabalhar no famoso Palácio do Luxemburgo em Paris. Monier acabou por retornar à sua cidade-natal de Blois enquanto artesão bem sucedido e foi muito requisitado para trabalhar no vizinho Château de Cheverny.

Visita ao Château de Cheverny, Vale do Loire
detalhe da sala dos retratos

Visita ao Château de Cheverny, Vale do Loire
a sala de música

Ao longo do castelo há inúmeras divisões, todas elas com belíssimas pinturas e uma grande variedade de peças de mobiliário escolhidas a dedo ao longo dos séculos e mantidas em condições impecáveis. Entre muitos itens, vale a pena mencionar a cómoda estilo Louis XIV ou o relógio decorado com gravuras de bronze do período de Louis XV, os quais se encontram na Sala das Tapeçarias. Este último foi projectado para dar as horas certas e foi usado para acertar os outros relógios do castelo.

Visita ao Château de Cheverny, Vale do Loire
pormenor do grande salão

Os terrenos exteriores do castelo são tão bonitos quanto o interior e o edifício em si, com jardins impecavelmente bem cuidados. O parque abriga uma variedade de árvores, incluindo sequóias gigantes e majestosas árvores de cedro do Líbano, algumas das quais têm centenas de anos. 

Visita ao Château de Cheverny, Vale do Loire

Cheverny é também conhecido pelos seus canis: o castelo desempenha um papel importante no desporto tradicional de caça, contando com mais de 100 cães de caça, metade foxhound inglês, metade Poitou francês, mistura que lhes confere pernas grandes e maior resistência. Apesar de ter visitado os canis, infelizmente não tive oportunidade de ficar até mais tarde para assistir à alimentação dos cães que tem lugar todos os dias às 17h de 1 de Abril a 15 de Setembro. Se estiverem de visita e tiverem tempo não deixem de o fazer, já que parece ser um verdadeiro espectáculo!

Outra parte do castelo que, para minha infelicidade, não tive oportunidade de visitar foi a exposição sobre a banda desenhada Tintin. Provavelmente estarão a questionar-se qual a relação entre o Château de Cheverny e a criação do belga Hergé, mas algo que aprendi na minha visita é que este castelo do Loire serviu de inspiração à criação do Château de Moulinsart do capitão Haddock!

Visita ao Château de Cheverny, Vale do Loire

O Vale do Loire é lar de alguns dos castelos mais bonitos e intrigantes de toda a França e o Château de Cheverny não é excepção! Uma visita a este castelo proporciona uma experiência verdadeiramente autêntica que nos faz sentir como se mergulhássemos no passado rico da região!

JÁ conheciam este castelo privado que há tanto tempo se mantém na mesma família?

A ler também...

0 comentários: